Vítima discreta

A Osman Lins.   A esta hora, o teu próprio carrasco estira os braços, olha a alvura do teto e se levanta. Como tu, lentamente o teu carrasco se vê no espelho, talvez numa saudade de ontem. Todo dia, isso. Como se estivéssemos condenados a inaugurar algo já muito velho e desgastado. A palavra novo … Continue lendo Vítima discreta

Anúncios

São coisas da vida, dizem eles, dizemos nós

"(...) Os mortos se decompõem sob o relógio das cidades..." (García Lorca, Federico. Ode a Walt Whitman. 2001, p. 205) Não vai tempo largo e te tornam imbecil. Apenas por ter de atender a duas-três exigências e comprar pão, sempre um outro dia, tornam-te imbecil. E teus ombros descaem, pouco a pouco, em velocidade não … Continue lendo São coisas da vida, dizem eles, dizemos nós